12.4.11

Murakami Reading Challenge 2011


O Murakami Reading Challenge 2011 não é um concurso, é sim um interessante desafio de leitura, direccionado tanto para fãs de Murakami, incitando-os ao aprofundamento e à releitura, como para “iniciantes”, convidando-os a descobrir o maravilhoso imaginário deste autor japonês.

Os leitores de todo o mundo são incitados, também, a partilhar as suas críticas literárias, reunindo-se assim, pelo período de um ano, numa envolvente tertúlia literária, ainda que virtualmente, enriquecendo e cultivando o gosto pela leitura.

A participação neste desafio permite ao leitor atingir vários escalões: ler um livro de Murakami corresponde ao nível Hajime, aos três livros ascende-se a Sheep Man, Toru com cinco livros, Nakata com sete, Sumire ao ultrapassar os 10 livros e, finalmente, Super-frog ao ler tudo o que já alguma vez foi editado por Murakami. Estes níveis ou escalões surgem apenas como incentivo a uma leitura habitual, não trazem consigo qualquer tipo de imposição, o leitor é livre de fazer as suas escolhas.

Estamos em Abril, ainda há muito tempo para ler toda a obra de Murakami, ou apenas um conto. Importa, acima de tudo, que se leia, que se descubra e redescubra com gosto o imaginário “murakamiano”, que se conheça um pouco do tanto que este autor nipónico tem para dar.

Para mais informações sobre este Murakami Reading Challenge 2011, basta visitarem o site oficial desta curiosa “competição” literária.

fonte: Clubotaku

2 comments:

Jutilde said...

Nossa, fantástica essa iniciativa, é perfeito, vc gostar de um autor, lê-lo e ainda poder trocar com outros leitores , suas impressões,eu já li 4 livros dele, o problema é que não falo inglês, como vou postar no site? em português mesmo?
Jutilde

Jutilde said...

Errei..........são 5 livros que eu li. Me identifico muito com ele, com a forma que escreve, como ele pode de um tema tão simples como CORRER, fazer uma escrita tão linda, emocionante e interessante.Nível TORU, puxa vida, estou perto do Nível NAKATA, adorei o personagem de Kafka a beira Mar, que lindo o velhinho que falava com os gatos, como ele mistura absurdo com vida real...meu Deus, dá para sonhar muito....