15.1.10

Yasushi Inoue井上靖



Yasushi Inoue (1907 – 1991) nasceu em uma família de médicos e foi criado desde os seus seis anos por uma avó gheisha, em uma região montanhosa perto de Tokyo. O kimono com crisântemos, os frios abissais, os bairros marginais, são imagens recorrentes na obra do grande escritor, quadros da sua infância que o seguem e reaparecem com fidelidade na obra inteira. Destes aspectos surgem a calmaria, a solidão da sua escrita, a formosura dos pormenores tão silenciados – femininos e constituídos em determinantes universais. Mas aonde Inoue foi buscar a sua técnica estrutural tão precisa, igual ao bisturi de um grande cirurgião dos sentidos? Não aprovado no exame de admissão na Faculdade de Medicina, para o desagrado dos seus pais, Inoue se forma em estética e filosofia pela Universidade Imperial de Kyoto, com uma tese final sobre o Paul Valéry. Nada surpreendente para um jovem que, através da poesia, já tinha revelado o seu eixo criativo ainda na adolescência. Logo depois de finalizar os estudos, inicia a carreira jornalística, graças a ela veio a sua predileção para novelas curtas, micro romances e estilo intencionalmente lapidário. Por quase um ano deixa o jornalismo e segue para os campos de batalha, servindo como soldado na China, entre 1937 e 1938.

Este pormenor poderá ter influenciado na preferência do escritor, a posteriori, pelo detalhe histórico minucioso, o mundo Chinês, e as novelas históricas em geral. Foi por causa deste percurso turbulento que só estreou na literatura aos 42 anos, com dois mini romances: Ryoju (Fuzil de caça) e Togyu (A luta de touros), o segundo trazendo-lhe o famoso prémio Akutagawa um ano depois, em 1950. É o momento em que renuncia ao jornalismo e se dedica totalmente a literatura. Publicou inúmeros romances. Alguns deles se transformaram em êxitos cinematográficos, inclusive marca Akira Kurosawa.

Obras principais:
Ryoju (1949), Togyu, (1949), Asunaro monogatari (1953), Yodo dono nikki (1955), Aoki okami (1959), Waga haha no ki (1975).



Bibliografia:

INOUE, Yasushi. (2007) Maestrul de ceai (O mestre de chá). Bucuresti: Humanitas.
--------------------. (2000) Pusca de vanatoare (Fusil de caça). Bucuresti: Humanitas.



Iolanda Vasile

2 comments:

Homem do Leme said...

Olá,
descobri este blogue há pouco tempo mas sou já leitora assídua. Adoro literatura japonesa e também tenho um blogue onde comento o que leio (japonês e não só). Vou continuar a visitar este espaço.

Blog de um Brasileiro said...

será um prazer ler este autor.
Seu blog é maravilhoso. A iniciativa de aproximar os lusófonos dos escritores orientais é magnífica